28 dezembro, 2019

E 2019?!

O que dizer de 2019?!
Foi o ano em que mais viajei, talvez o que mais festejei a vida, as minhas amigas e aproveitei todos os segundos possíveis para ser feliz.
Mas foi também o ano em que deixei o trabalho que pensava ser o único a fazer-me feliz no mundo, foi o ano em que arrisquei, me coloquei no limite, decidi colocar estas crenças  todas de parte e jogar-me de cabeça.
Em que “larguei” o salto alto para servir Cafés. 
Deixei o trânsito, a minha casa, os meus amigos e a cidade grande a 300km de distância para me entregar a um negócio de família. Onde dei um passo atrás para dar dois em frente.
Mas tudo isto já vocês viram, ou “assistiram” remotamente nas vossas casas através deste mundo das redes sociais.
Mas e o que não se vê?!
Aquilo que dói e ninguém no mundo imagina ou sabe?! 
Este foi o ano também em que mais me magoaram. Entraram e saíram da minha vida sem dó ou piedade.
Fizeram feridas cá dentro tão grandes, daquelas que não esperas que nem lágrimas consegues ter?! Parece que a dor te secou. É assim que termino o meu ano. Seca. Muito seca, foi-se a água.
Talvez me tenha tornado uma pessoa um pouco mais seca e muito desacreditada em algumas coisas. Mas...... dizem que tudo é bom, tudo nos ensina.
Sinceramente e não sei se isto acontece convosco, mas, ainda não estou no mood de ver que tudo é bom para nós (eu sei que é, mas ainda não me apetece).
Por isso deixem-me “odiar” um bocadinho o mundo e as situações à volta, até porque eu sou altamente bipolar e é provável que daqui a 5m volte ao estado normal “Ana Cláudia”, ou alguém me faça acreditar nas cenas boas, no meu mundinho buéda fixe e cheio de gargalhadas.
Resumindo: foi um ano muito difícil mas eu sobrevivi (sempre sonhei dizer esta frase, acho que dá um ar mega adulto. 😅😂)









27 julho, 2019

Paris.


Seria injusto não vir aqui depositar tudo o que vivi e vi nas últimas 48h. Foi curto eu sei, mas valeu milhões.  
A minha Andreia fez 29 anos na passada sexta-feira e eu estava LOUCA para lhe entregar em mãos o que viria a ser para as duas o realizar de um sonho.
Eu sou um pouco louca, andei a ver os voos para Paris e simplesmente comprei. (mesmo à maluca.) 
Assim foi, a seguir ao jantar de aniversário fomos a casa dela fazer as malas e começou a aventura.....

Sábado day 1
Aterramos no aeroporto de Beauvais e apanhamos o autocarro que vai direto para Port Maillot.
Todos os autocarros estão cronometrados com os voos da Ryanair e por isso a partida dos mesmos são 30m após aterrarmos.
A viagem até Paris são cerca de 60m mas vale muito apena.
O trajeto tem o valor de 15€ arredondadamente. 
Super prático, cômodo e barato.
Chegando a Port Maillot o nosso hotel encontrava-se apenas a 500m (fenomenal).
Como chegamos muito cedo deixamos tudo no hotel e fizemos o máximo que conseguimos para ver um pouco da cidade....
Estivemos no Arco do Triunfo, seguimos pelos Campos Elísios, almoçamos por lá inclusive, fomos até à Torre Eiffel e daí fizemos a pé sempre rente ao Rio até ao Museu do Louvre.
Nessa zona encontramos muito comércio.
Cafés parisienses, lojas de recordações e muitas, MUITAS daquelas lojas que nos deixam (às senhoras como é óbvio) sem fôlego..... aí meu Deus..... 























Domingo day 2
Chegou o grande dia das nossas vidas..... 
Disneyland com elas.
Não há palavras. Não há mesmo.
Se me perguntarem o que vale mais apena, se a cidade ou se a Disney, não há dúvidas, amei conhecer a cidade porque o queria muito, MAS, vão à Disney isso sim vale apena. 
Como já havia referido a nível de transportes ficamos muito bem localizadas, foi só apanhar o metro em Port Maillot, fizemos duas paragens até Charles du Gaulle e aí trocamos de metro para o comboio que nos deixa literalmente à porta da Disney. 
Valores do metro 1,90€, comboio até à Disney apenas 7€ aproximadamente por trajeto.
São cerca de 50m de Paris até à Disney.
O último comboio de regresso é à meia noite por isso super tranquilo.
Acordamos com a maior tranquilidade do mundo, fomos a um café parisiense tomar o belo do pequeno-almoço e lá nos pusemos a caminho.
Chegadas à Disney começamos a saltar, a gritar e a dançar uma valsa no meio da entrada do Parque. (Sim, isto aconteceu mesmo.)
Não vos vou mentir, emocionei-me logo à entrada. Há anos que pedia ao meu Pai para me levar à Disney tipo criancinha de 10 anos mas o homem não quer sair lá da Fuseta dos seus Algarves então tive de me fazer à pista. 😊
Fizemos 1 parque num dia.
Não parámos 1 único segundo.
Fizemos tudo o que havia para fazer à excepção do pavilhão do Star Wars porque gaja que é gaja não tem paciência para essas coisas. 😂
Quando digo que fizemos tudo fizemos mesmo, ao ponto da amiguinha me ter conseguido arrastar para a m* de um pavilhão totalmente fechado e escuro (só assim é que me enganaram), sabem o que era?????? 
A porcaria de uma montanha russa que anda a uma velocidade obscena e ainda por cima no meio de uma “guerra” na galáxia eram só aviões a sobrevoar-me a cabeça e tiros e cenas assim e eu não sei, não sei mesmo como sobrevivi. Foi a primeira vez que andei a alta velocidade de cabeça para baixo. 😦 (ela vai pagá-las como é óbvio. 😂)
Bem..... almoçamos no restaurante do Timon e pumba e o melhor como é óbvio estaria por vir: o espetáculo de encerramento do Parque....
MEU DEUS!!!!!!!!! Acreditam que choveu torrencialmente o espetáculo todo e NINGUÉM arredou pé dali? Pensem o quão encantado é.
Eram pais com criancinhas por todo o lado, milhares de pessoas e toda a gente ali debaixo do maior dilúvio como se nada fosse. 
(Vejam os meus storys mas acreditem não há comparação para o que se vive lá mesmo.)









favor notar que éramos as únicas adultas na foto com as princesas..... 😏😂






16 novembro, 2018

Obrigada a todos os que me pertencem. (Não tenho fotos com todos)

Falta exatamente um mês e meio para terminar o ano.
De repente vêm-me à cabeça milhares de memórias felizes e vocês nem imaginam o quanto isso me deixa em estado de graça.
Finalmente tive um ano em que foram mais as alegrias, os sorrisos, os momentos bons do que os menos bons.
Modéstia à parte, tenho a melhor família do planeta, tenho as amigas do peito, tenho as Revenge of the 90’s, um trabalho que me permite ser eu por completo e feliz, tenho as minhas músicas, os concertos do Tony Carreira e agora do Sérgio Rossi. Tenho o Toy que lançou o maior êxito de sempre.
Tenho o “contrabando” (entenda-se contrabando por todos os biscastes/trabalhos que arranjo com a minha amiga do coração à parte dos meus Hotéis Real para ganharmos mais uns trocos para as viagens).
Por falar em viagens..... este ano comecei o ano na minha cidade do coração, no Porto. Fui a cabo verde com 30 malucos.
Fui ver as ancas da minha Anitta ao vivo no Rock in Rio.
Estive no casamento do ano.
Enraizei-me, voltei a ser eu. Feliz, cheia de energia, uma energia que vem de dentro, que é natural.
Voltei a sorrir de dentro para fora e sempre que acordei num dia não pensava com toda a força: “vamos trabalhar para comprar sapatos”. Parece estupido mas era o aditivo do “bora lá”.
Só continuo pobre e gorda porque de resto...... “tá tudo bem, tu também tá bem, todo o mundo aqui tá bem, amanhã vou ver o Tony tá tudo bem.” ❤️